Ken Wilber (Kenneth Earl Wilber Jr.) nasceu em 31 de Janeiro de 1949 em Oklahoma City (EUA).

Viveu em muitos lugares durante sua vida escolar, pois seu pai era da Força Aérea. Completou o 2º grau em Lincoln, Nebraska, e começou a estudar medicina na Duke University.

Porém, durante o primeiro ano, ele perdeu todo o interesse em seguir a carreira científica e começou a ler sobre psicologia e filosofia, tanto Ocidental quanto Oriental. Ele retornou a Nebraska para estudar bioquímica mas, após alguns anos, abandonou o mundo acadêmico (já formado em bioquímica) para dedicar todo o seu tempo a estudar e escrever.

Com 23 livros sobre espiritualidade e ciência traduzidos em 25 países, Ken Wilber é o autor acadêmico americano mais traduzido na atualidade.

Pela natureza básica e pioneira de seus insights, ele tem sido chamado de “Einstein da consciência”.

Sua obra concentra-se basicamente na integração de todas as áreas do conhecimento (ciência, arte, filosofia, espiritualidade). A preocupação em unir ciência e religião apoia-se em sua própria experiência e na de diversos místicos de algumas das grandes tradições de sabedoria, tanto ocidentais quanto orientais; aliado à sua releitura transpessoal da psicologia analítica de Carl Gustav Jung.

Mesmo sendo considerado um fundador da escola da Psicologia Transpessoal, desde então ele se dissociou dela. Em 1998 Wilber fundou o Instituto Integral (Integral Institute), organização que reúne os inúmeros pensamentos nas questões sobre a ciência e a sociedade de maneira integral. Ele tem sido pioneiro no desenvolvimento da Psicologia Integral, da Política Integral - e, mais recentemente, de uma nova Espiritualidade Integral.

No dia 4 de Janeiro de 1997, o jornal alemão Die Welt declarou Wilber como "o maior pensador no campo da evolução da consciência", a Publishers Weekly chamou-o de "o Hegel da espiritualidade oriental".

No Brasil, Ken Wilber é mais conhecido pela fase inicial de seus trabalhos, em especial pelos livros "Espectro da Consciência" e "Projeto Atman". Contudo, sua maior contribuição - a proposta de integração de todas as áreas do conhecimento humano - ainda estaria por vir.

Em seus novos trabalhos, Wilber dedica-se à prospecção de uma "Teoria de Tudo", um metamodelo do conhecimento já produzido que possa unificar e estruturar a visão do que chama de Kosmos: físico, vida, mente, alma e espírito. Em "Consciência Cósmica" (Kosmic Consciousness), Wilber começou o que ele se intitula: contador de histórias e criador de mapas. Suas histórias falam sobre questões universais e seus mapas integram várias perspectivas do cosmos.

Em "Uma Teoria de Tudo" (A Theory of Everything), texto introdutório ao paradigma integral, Wilber sintetiza suas teorias e ferramentas, e propõe uma visão integral - e unificável - para os negócios, a política, a ciência e a espiritualidade. Em "Espiritualidade Integral", Wilber expande sua visão Integral para formular uma nova teoria para a espiritualidade, propondo um papel inovador para a religião, transcendência e sua aplicação no cotidiano. Ken Wilber possui também uma obra de ficção (Boomerite: Um Romance que deixará você livre), onde seus questionamentos e conceitos podem ser absorvidos didaticamente ao serem retratados no cotidiano de um homem de seu tempo.

Em Sex, Ecology, Spirituality (1995), Ken Wilber critica não apenas a cultura Ocidental, mas também movimentos contra-culturais como o New Age. Em sua opinião, nenhum desses aborda a natureza profunda da “filosofia perene”, o conceito de realidade que habita o centro das principais religiões, e que forma o background de todos os seus livros e artigos. Esse trabalho fundamental foi também resumido em Uma Breve História do Universo (1996).


Seu primeiro livro O Espectro da Consciência (1977) firmou sua reputação como um pensador de vanguarda, que busca integrar psicologia Ocidental e Oriental. A Consciência sem Fronteiras (1979), que resume esse trabalho, é um dos seus livros mais populares. O Projeto Atman (1980) e Up from Eden (1981) abrangem os territórios da psicologia do desenvolvimento e da história cultural, respectivamente.

Em uma publicação mais pessoal, Grace and Grit (1991), Wilber nos fornece um relato comovente de seu relacionamento com sua segunda esposa, Treya, que morreu de câncer em 1989. Em One Taste, um diário pessoal do ano de 1997, ele oferece insights sobre seu modo de vida e experiências pessoais.

A história é tão comovente que foi para as telinhas em com o mesmo título da obra de Ken Wilber, Grace and Grit com roteiro e direção de Sebastian Siegel narra a verdadeira história de amor do icônico filósofo Integral Ken Wilber e sua esposa Treya.

Em 2000, Ken Wilber fundou o Integral Institute, para estudar questões da ciência e da sociedade de modo integral.




Texto original: The World of Ken Wilber (www.worldofkenwilber.com)

Traduzido e adaptado por Priscila Campello e Moacyr Castellani